Com muita $egurança

3 06 2011

Foi hoje anunciado pela FIA, o conjunto de alterações aos calendários dos mundiais de Fórmula 1 e de Ralis, bem como a decisão acerca do GP Bahrain.

E sobre este último ponto, tal como na decisão do ano passado acerca da punição à Ferrari, na sequência dos acontecimentos em Hockenheim, a FIA mostrou até que ponto se degradou em nome do dinheiro. O GP bahrenita vai ocupar o lugar no calendário que estava reservado ao GP da Índia, sendo que não foi definido quando se irá colocar a estreia do circuito de Jaypee na F1.

Motivos de $egurança ditaram o regresso do Bahrain...

Tenho que ser honesto quando digo que nunca tive tanta vergonha da Fórmula 1, nem mesmo aquando do Crashgate, ou de Hockenheim, ou do Stepneygate, senti tanto que a F1 se rebaixou por completo por mais um pouco de dinheiro. Ainda para mais tendo em conta os lucros que este desporto consegue, ficando a sensação de que a F1 a querer o Bahrain por 40 milhões de euros, é como ver um milionário à luta por uma moeda de um cêntimo…

O cúmulo disto é que foi dito que estavam reunidas as condições de segurança para a realização da corrida, no mesmo dia em que circulou a notícia de mais desacatos e repressão no país!

Sobre o calendário de 2012, há que notar a estreia do GP dos EUA, na pista de Austin. O total bastante falado de 21 corridas dificilmente se concretizará, visto que os GP’s da Europa e da Turquia ainda são incógnitas, pois o circuito de Valência não é do agrado dos pilotos ou fãs, e o circuito de Istambul, embora seja um grande circuito, não atraiu o público local, e não poderá comportar um aumento dos custos que Ecclestone quer.

Sobre o mundial de Ralis, há pouco a dizer: de ressaltar o regresso do Rali de Monte-Carlo, e a “prova longa” da Argentina, mas pouco mais.

Anúncios




Estará 2011 acabado?

9 05 2011

Estamos bastante mal habituado. Depois dos últimos anos terem tido disputas pelo título bastante cerradas, Sebastian Vettel parece-nos estar estar os (nada bons) velhos tempos em que Schumacher dominava a F1 a seu bel-prazer. O alemão partiu bem, e daí para a frente só voltou a aparecer nas câmaras no fim para receber a bandeira de chegada… Atrás de si, a uma distância confortável, estiveram Alonso e Webber que lutaram pelo segundo posto ao longo da corrida (vitória para o australiano), sendo de admirar o progresso da Ferrari.

A McLaren e Mercedes depois de uma qualificação boa, acabaram por não conseguir acompanhar o ritmo dos da frente, terminando imediatamente a seguir, sem ter ameaçado o domínio da Red Bull alguma vez (ainda que Rosberg tenha estado brevemente na frente de Webber). A Renault teve uma situação semelhante, ainda que tenha perdido o fôlego que os pódios pareciam-lhe ter dado.

Esperemos não ver isto até ao fim do ano...

Ainda algum destaque para as excelentes exibições de Buemi e Kobayashi, que conseguiram dar os últimos pontos a Toro Rosso e Sauber, respectivamente, depois de terem partido de posições mais atrasadas. As grandes decepções foram a Force India e a Williams, que ficaram sempre longe dos pontos, parecendo, no caso da equipa de Grove, ter sido a estratégia errada a principal culpada.

Uma corrida bastante dominada pela Red Bull, que embora tenha perdido o GP da China, levou a que Vettel tenha conquistado 93 pontos em 100 possíveis. Embora não queira parecer derrotista, é evidente que os adversários não acompanham o ritmo, e a vitória de Hamilton deveu-se mais a uma falha na estratégia da Red Bull, do que a superioridade evidente, pelo que esperemos que não se volte a ver um campeonato conquistado em Julho!

Veja os resultados completos.





Red Bull mantém superioridade

7 05 2011

Grandes eram as expectativas para este primeiro GP europeu da temporada, contudo tudo se manteve: Red Bull permanece dominante. Pronto, não estou a ser justo, ocorreram, de facto, várias mudanças, mas comecemos pela frente. Vettel e Webber colocaram os RB7 na frente (por esta ordem), e enquanto os outros tentavam mais uma volta para os bater na qualificação, eles decidirem poupar um jogo de pneus para a corrida. Uma inspiração na vitória de Hamilton na China…

Os dois McLaren acabaram por não conseguir evitar a superioridade dos austríacos, mas ao menos aproximaram-se um pouco mais. Uma das surpresas foi a Mercedes, que parece ter conseguido recuperar terreno após duas primeiras corridas bastante desanimadoras, e Rosberg, a partir de 3º, poderá tentar dar luta aos Red Bull na corrida. A Renault também esteve bem, embora a melhoria dos alemães a tenha impedido de se chegar mais à frente.

Vettel aproveitar para irritar Verstappen mais um pouco...

A Ferrari acabou por decepcionar, pois Massa e Alonso estiveram sempre muito longe do ritmo dos rivais, e o 5º lugar de Fernando poderá ser considerado um grande feito. Para a alegria dos seus fãs, mesmo em crise a Williams parece ter conseguido um aumento de performance, com Barrichello a quase passar à Q3. Os seus maiores rivais do momento são mesmo a Force India, e a Sauber, que não pôde contar com Kobayashi por problemas na Q1.

A Toro Rosso ficou atrás, parecendo ter perdido o “comboio” do meio, e com uma Lotus surpreendente a pouca distância. Kovalainen ficou bem perto, e se não fosse um problema com o DRS, Trulli poderia ter-se imiscuído na luta. Isto sem que tenham sido feitas as maiores alterações ao T128, que apenas virão em Barcelona… Bem se pode entender as expectativas de Mike Gascoygne para o GP de Espanha!

A surpresa da qualificação ficou, no entanto, no fim do grid. Após um Inverno cheio de dúvidas acerca do seu futuro, a Hispania tem progredido bastante desde que falhou a qualificação em Melbourne, tendo Liuzzi conseguido qualificar-se à frente de um Virgin (Glock, que parece cada vez mais desmotivado), o que é incrível tendo em conta a diferença de preparação de ambas as equipas…

Veja os resultados completos.