1 – o número favorito de Vettel

26 09 2011

E quem diria… mais uma vitória para Sebastian Vettel. O alemão dominou por completo o GP da Singapura ontem, ao imprimir um ritmo imbatível na parte inicial da corrida, e mesmo que tomemos em consideração o fato de ter acabado a corrida sob pressão de Jenson Button, temos que admitir que ele esteve intocável…

Já Button esteve a um excelente nível, e deixa no ar a impressão de que, se a McLaren acertar com o carro de 2012, Jenson é o maior rival de Vettel na luta pelo título. Para já, no de este ano, assumiu a vice-liderança.

Os Ferrari estiveram bastante abaixo do esperado, sendo que Massa deu mais nas vistas depois da corrida, do que durante. Hamilton (mais uma vez) envolveu-se num acidente com o brasileiro, e no fim da corrida Felipe foi ter com Lewis para lhe dizer “Bom trabalho, pá!” no tom mais sarcástico possível, enquanto batia palmas…

O número favorito de Vettel esta temporada.

Mais atrás, grande destaque para a Force India que colocou ambos os pilotos nos pontos, com o estreante di Resta na frente, em sexto. O resultado elevou bastante a equipa, que não só está a mostrar-se superior a Sauber e Toro Rosso, como também se aproxima cada vez mais da Renault. Querem ver que a equipa que tem a mania que é Lotus ainda vai ser passada pelos indianos?

Justamente os Renault tiveram um péssimo GP, e Petrov acabou mesmo atrás de Kovalainen, o que de certeza deu bastante gozo a Tony Fernandes. Mercedes também não esteve muito bem: Rosberg ficou apenas em 7º, e Schumacher espetou-se contra Kobayashi. Um ligeiro destaque para o fato de a Williams estar bem mais perto dos lugares pontuáveis, mas apenas dizer isto mostra como o ano deles tem sido extremamente mau…

Por último, o vencedor Vettel fez a 9ª vitória da época (primeira vez desde Schumacher 2004), e pareceu que gosta bastante do número 1, a julgar pelas vitórias e poles, mas também por ser esse o número de pontos que precisa para ser bi-campeão…

Veja os resultados completos (se repararem bem, o GP Update agora também chama à Renault, Lotus-Renault; e à Lotus, Team Lotus… Já o novo jogo da F1, o F1 2011, também faz o mesmo. Isto irrita-me bastante: que eu saiba não chamam à McLaren, a Vodafone McLaren; nem à Mercedes, a Mercedes Petronas!

Anúncios




F1 2011: Os primeiros reviews

23 09 2011

É certo que apenas esta semana é que o jogo sai, mas sem dúvida que F1 2011 é um dos jogos mais esperados do ano para os fãs de automobilismo. Mal posso esperar pelo meu (só vem no Natal…), mas alguns felizardos já poderam experimentá-lo, como a conceituada Gamespot. Fica o vídeo, com as novas funcionalidades e imagens espetaculares do novo jogo.





Explicação simplificada

22 09 2011

Confesso que estava a pensar publicar um post com uma explicação sobre o que se anda a passar na Williams, mas acho que esta é uma maneira mais simples e menos aborrecida de o fazer. Portanto vejam a minha explicação do que se anda por aí a comentar…

Criado em fakeconvos.com





Combustível de competição vs de estrada

16 09 2011

A BBC tem por hábito fazer algumas pequenas reportagens antes das corridas acerca de temas ligados à Fórmula 1. Sempre interessantes de ver, muitas vezes fornecem bastante informação e fazem diversas experiências. Na do vídeo que se segue, Jake Humphrey foi a Fiorano ver Fernando Alonso a guiar o seu Ferrari com o combustível de corrida, e o que é usado pelos carros de estrada.

Os resultados são bastante curiosos… “Acho que ser mais rápido [com o de estrada] será difícil, (…) e poderia querer dizer que o trabalho feito na F1 no último ano não foi muito inteligente!”, dizia Alonso no início. No fim, o de estrada faz um tempo parecido, e segundo a equipa talvez (com mudanças no mapeamento do motor) até mais rápido.

E, já agora, apanhei este vídeo pela primeira vez no excelente blog do Júlio Cézar Kronbauer.





Black and Gold

14 09 2011

À alguns meses atrás tinha tido a ideia para criar este vídeo, quando ouvi esta canção pela primeira vez. Entretanto estava a tentar conseguir um bom programa para fazer o que eu realmente queria, e não apenas o que o programa deixava. Enfim, apresento-vos o vídeo que fiz, acerca dos tempos de parceria entre a Lotus e a John Player Special sob o tema Black and Gold (Sam Sparro).

Não sou nenhum Antti Kalhola, mas acho que me consegui safar, apreciem!





Esqueçam…

12 09 2011

Lembram-se daquela réstia de esperança, de que se calhar o campeonato ainda não estava decidido? Esqueçam… Sebastian Vettel conquista a oitava corrida do ano (a primeira vez que alguém consegue mais de 7 desde Schumacher), e logo naquele que era em teoria o pior circuito do calendário para a Red Bull. Apesar de tudo, o alemão não se limitou a controlar a distância, e teve que passar Alonso por fora na Curva Grande, pondo duas rodas na relva a quase 300 km/h… Com que então ele não se dava bem em disputas!

A luta pelo vice está bem mais animada. Alonso partiu bem e passou grande parte da corrida em segundo, e acabou em terceiro, mesmo com a pressão de Hamilton nas voltas finais. Schumacher também surpreendeu, aguentando Lewis atrás de si inúmeras voltas, roçando muitas vezes os limites do que deveria fazer, ao ponto de Ross Brawn o ter chamado à atenção duas vezes para deixar mais espaço.

Vitória inesperada de Vettel... a sério!

Mas o melhor foram mesmo os dois McLaren: Hamilton pressionava há muito Schumi, mas este fechou-lhe a porta, e enquanto Lewis recuperava, Button passou. O seu companheiro de equipa foi muito mais rápido e passou Michael à primeira, o que deve ter sido no mínimo irritante para o companheiro de equipa…

Mais atrás, Massa acabou longe de todos, ainda que depois de um toque; Alguersuari e di Resta estiveram em grande nível para dar a Toro Rosso e Force India, respectivamente, uma grande quantidade de pontos. Senna acabou por estar bastante bem, com uma ultrapassagem brilhante a Buemi, para conquistar os primeiros pontos da carreira.

Um grande número de abandonos, principalmente devido ao facto de Liuzzi ter perdido o controlo do HRT, e voado em direcção a Petrov e Rosberg, acabando com as corridas deles logo na primeira volta… Ainda culpou o Kovalainen sem se perceber bem como. Por último: nem com apenas 15 carros a acabar a corrida a Williams pontua, está mesmo má a situação da equipa…

Veja os resultados completos.





Quem o viu, e quem o vê

6 09 2011

Actualmente, já todos estamos francamente fartos do domínio exercido por Sebastian Vettel ao longo deste campeonato de 2011. 7 vitórias em apenas 12 corridas, e apenas 1 corrida fora do pódio fizeram com que o alemão que apenas tinha liderado em 2010 uma prova (ainda que a mais importante, a última), esteja agora a poucas corridas de se sagrar bi-campeão. Confesso que já me mentalizei que ele o vai ser apesar de ainda faltarem 7 provas para o fim, o máximo que posso fazer é esperar que em 2012 seja o ano do Button, novamente…

Mas quando começou Vettel a exercer um domínio tão avassalador sobre a concorrência, ao ponto de que quase todos os fãs da F1 estejam a desejar que ele comece a ter problemas? Ainda se lembram quando o gigante era pequeno e fez todos vibrar com ele na sua primeira vitória?

Há quase exactos 3 anos, Sebastian Vettel surpreendia tudo e todos ao fazer pole position e vencer o GP de Itália debaixo de chuva intensa. Era incrível o conjunto de circunstâncias que envolvia a situação: no circuito italiano, a Toro Rosso, italiana, e a sucessora da histórica Minardi vencia a sua primeira corrida de sempre (e até agora única), e fazia-o (sem nós sabermos) com o futuro bi-campeão mundial que arrasa este ano a concorrência. É com estas imagens que penso que é muito melhor ter este alemão a dominar e não Schumacher…

—————————-

Algumas pequenas notas, mais ou menos relacionadas com o que está acima vão surgir.

Este post foi escrito por mim, não apenas para falar de Vettel e de Monza (que é a próxima corrida), mas também para aproveitar e divulgar este canal do YouTube, o classicosf1, que todos os dias mostra novas imagens com a história da F1 para todos podermos ver ou rever. Pelo menos enquanto a FOM não se encarregar de o eliminar…

Já merecia que a Mercedes fizesse um bom trabalho, não?

Outra questão é a das primeiras vitórias. Após uma pequena reflexão apercebi-me que já desde Vettel (e se excluirmos Webber, que tinha um dos dois melhores carros do grid em 2009) nunca mais vimos um piloto a vencer pela primeira vez. Não calharia bem ver uma cara nova no lugar mais alto do pódio? Especialmente o Rosberg e o Kobayashi que já merecem uma cada, pelo menos.

Por último, destaque para o facto de a Aabar Investments ter 40% da Toro Rosso, e de ter vindo a colocar logos das suas marcas nos carros italianos. A equipa prepara-se para dar um salto de qualidade com melhorias nas instalações, ainda que sem interferência dos árabes nos aspectos admnistrativos. Ou seja, a Toro Rosso vai continuar a treinar recrutas para a Red Bull, e a servir para publicitar a marca de Dietrich Mateschitz. A única diferença poderá ser a performance.