A cobiçada vaga

20 06 2011

Não restam dúvidas que presentemente na Fórmula 1, a vaga mais cobiçada é a de companheiro de equipa de Fernando Alonso na Ferrari. É certo que a Scuderia insiste que ambos os seus pilotos possuem contrato para 2012, mas também diziam o mesmo no final de 2009, e isso não os impediu de se livrarem de Raikkonen, não é verdade?

Enfim, tudo isto tem levado a que a imprensa tenha especulado intensamente acerca dos possíveis substitutos do brasileiro Felipe Massa. Os nomes apontados não surpreendem: Jenson Button, Nico Rosberg e Mark Webber. Analisando no geral é possível verificar que ambos estão com contratos a terminar, mas vejamos mais especificamente.

Comecemos pelo vencedor do GP do Canadá. Jenson tem sido referido como aspirante dessa posição, pois já tinha expressado o desejo de correr pelos “três grandes” da F1 (Williams, McLaren, Ferrari). Confesso que não gostaria de ver o britânico na equipa italiana, primeiramente pois, como já disse anteriormente, não sou fã da Ferrari; mas também porque Button tem conseguido ganhar “território” dentro da McLaren, que se apresentava em teoria como território de Hamilton… Duvido que ele queira deitar tudo isso a perder para ter que entrar mais uma vez numa equipa que gira à volta de outro.

A Mercedes procura manter Rosberg.

Passemos a Rosberg. O alemão entrou no ano passado com Schumacher, e muitos (não me incluo neste grupo) acreditavam que seria “destruído” pelo campeão. No entanto nada disso aconteceu, e foi na realidade Nico que liderou a dupla. A Mercedes já se apercebeu disto, entendendo que necessita de apostar no alemão se quer colocar-se nos lugares cimeiros, tentando a todo o custo renovar com o alemão, que não deverá querer arriscar-se na Ferrari, quando pode ser o líder da Mercedes.

Por último, Mark Webber, que eu já tinha analisado há uns tempos, e que deverá manter-se na Red Bull por mais um ano.

Eu creio que a Ferrari se deveria deixar de estratagemas e apostar em Massa. Aliás, desconfio que o ritmo do brasileiro no fim da temporada passado, e um pouca desta, se deveram sobretudo a uma enorme falta de motivação devido às acções do GP da Alemanha. Decididamente a Ferrari deveria aprender duas coisas: primeiro, a motivação conta muito numa equipa; e segundo, um contrato merece ser respeitado… Chegámos ao exagero de dizer “tem contrato, mas a gente transforma-o numa vaga”!


Ações

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: